A igreja de Nossa Senhora da Conceição é bem proporcionada, tanto a nível da planta, como a nível dos alçados e dos sequentes jogos volumétricos (nave, capela-mor e sacristia). Na fachada principal, bem marcada por cunhais pétreos – aliás como se verifica nos outros alçados – e rematada por empena encimada por uma cruz, abre-se um pórtico maneirista, no qual se desenvolve, livremente interpretado, um amplo repertório quinhentista de traça erudita.

O portal apresenta um esquema serliano ou de “janela veneziana”, dinamizado pela nervosa decoração geometrizante e vegetalista do frontão recortado, no qual se destaca, quer os capitéis das pilastras decoradas com volutas e óvulos, quer os mascarões relevados inscritos em dinâmicas cartelas que flanqueiam a composição centrada por um arco de volta perfeita com voluta simples na chave, onde se rasga a porta do templo. Sobrepõe-se ao arco um lintel e sobre este sobressai uma cartela ovalada com volutas e encimada por crátera e flores estilizadas. A referida lápide ostenta a epígrafe de consagração da igreja: ESTA . CASA . E . / DE . NOSA . SORA . / DA . CONCEIÇAO / ANO . DE . 1S66

Ainda no portal note-se a existência, na ombreira direita da porta, de singular e diminuta representação, em baixo-relevo, de uma cruz sobre densa e íngreme penedia em cuja base se abre a entrada de uma gruta. Sobre o portal – ladeado por duas janelas envoltas por grossas cantarias –, e quase à altura do frontão rasga-se uma grande janela central, superiormente contornada por um listel em arco abatido. O frontão, nasce acima do largo filete e a sua moldura muito sobressaliente acompanha o seu percurso, formando, assim, uma empena arredondada. No exterior merece ainda referência o topo fundeiro da capela-mor com a sua empena côncava, sobre a qual se ergue singelo campanário setecentista.

O interior da igreja de Nossa Senhora da Conceição, de uma só nave, apresenta-se acolhedor apesar da nudez das paredes caiadas. Dois listéis de meia-cana quebram a monotonia das paredes e marcam a moldura que define o arranque da abóbada de berço. Ao lado direito da porta principal nota-se uma pia-de-água-benta de pedra, representa uma pátera sustida por uma mão que emerge da própria parede, coeva da fundação e muito provavelmente da autoria de Francisco de Holanda (possível projetista da igreja de Nossa Senhora da Conceição da Ulgueira). Por sua vez, junto à porta lateral e embebida numa concha de alabastro incrustada na parede sobressai uma pequena pia-de-água-benta de ónix. O púlpito tem uma base em mármore branco polido e, ao centro, pende uma roseta de mármore rosa; e o varandim, de calcário apainelado, ostenta no frontal uma stela maris em baixo-relevo.

Um bem lançado arco do triunfo conduz à capela-mor, cujo pavimento se encontra coberto de mármore, exibindo, ao centro, uma estilizada composição de mármores embutidos. As paredes estão integralmente revestidas com painéis de azulejos a azul, datáveis de inícios de setecentos e assinados pelo monogramista LS. Estes painéis exibem enquadramentos concheados e neles figuram a Anunciação, o Esponsório, Santa Ana e São Joaquim. Os painéis cerâmicos prolongam-se pelos vãos laterais das janelas, decorados com anjos carregando cornucópias da abundância e, nos vãos opostos, alternam emblemas da ladaínha. Fazendo simetria com a porta da sacristia esboça-se, no alçado direito, uma porta de azulejos de manganés, datável de 1740-1750.

O protobarroco teto da capela-mor, também abobadado, é de madeira policroma, enriquecida com composições geométricas e florais e, ao centro, abre-se um medalhão com Nossa Senhora da Conceição, ostentando, nos quatro cardeais, emblemas de simbologia crística e mariana. Ao fundo, o retábulo de madeira – talvez de finais do século XVIII – ostenta decoração vegetalista. A veneranda imagem de roca de Nossa Senhora da Conceição (século XVIII) encontra-se ali exposta, no grande vão central encimado por frontão triangular suportado por pilastras.

Na face exterior do depósito da água do lava-mãos da sacristia vê-se um entrançado vegetalista com motivos ornitoformes. A data de 1713, visível no lavatório, poderá ser entendida no âmbito de uma grande campanha de obras que terá, inclusivamente, atingido o espaço da capela-mor com a aplicação dos azulejos parietais e pintura do teto.

Ir para o topo