A mais antiga notícia sobre a Quinta dos Freixos reporta-se a 1733, quando era propriedade do padre Albuquerque; e, esta casa “aninhada” junto à paroquial, terá sido amplamente remodelada depois do terramoto de 1755.

O seu atual prospeto de inspiração neogótica, contudo, resultou da reforma promovida por José Joaquim Miguéis, em meados do século XIX. Nesta propriedade deve-se ainda realçar o seu grande espelho de água e o jardim de buxos que se esboça em vários níveis, pontuado por estuaria diversa.

Ir para o topo