O fontanário de prospeto barroco abre-se em semicírculo e o espaldar arredondado dinamiza-se, quer pelo jogo cromático, quer pelos efeitos cenográficos que nos são transmitidos pela presença de pilastras de alvenaria e de expressivos e possantes filetes.

 Enquanto isso, as suas faces laterais permanecem rematadas por ondulantes volutas e, ao centro, sobre-eleva-se a própria espalda com coruchéu, oferecendo espaço para a introdução da pedra de armas dos Castro inscrita em cartela e, sob aquela, a lápide evocativa do monumento: ESTA FONTE DENOMINADA / DE EL REY HE DO SENHOR / DESTA QUINTA: MANDOUA / FAZER A CAMARA DA VILLA / DE CINTRA EM RECOMPENÇA / DE OUTRA DE BOA E ANTIGA / ARQUITECTURA QUE TINHA / POUCO MAIS ABAIXO QUE / SE DEMOLIO QUANDO / SE MUDOU ESTA ESTRADA.

Na base deste monumental fontanário, duas bicas de jarro vertem grossas torrentes de água no trilobado tanque de pedra, permanecendo este ladeado por conversadeiras corridas.

Ir para o topo