Na íngreme Rua Sotto Mayor, rasga-se em incaracterística parede coberta por densa folhagem, pequeno chafariz de conceção revivalista. De facto, um arco trilobado, de pedra tosca enquadrando azulejos neo-mudéjares de intensa policromia, serve de espaldar ao fontanário finamente esculpido em mármore rosado.

Assente num plinto retilíneo, o tanque emoldurado com duas pias interiores é alimentado por torneira que sobressai do torso sextavado, ornado de rosetas e semiesferas. A este sobrepõe-se fuste de feição circular, sustentando a escultura naturalista de uma águia que segura, nas suas possantes garras, ondulante cartela pendente, ganhando assim a perenidade do monumento, pois inscreve-se ali, em caracteres góticos, o encomendante e o ano de fabrico da fonte: C M S — MCMXV.

Ir para o topo